Tag Archives: Prémios

Renascença, RFM e MEGA HITS vencem Prémios Meios & Publicidade

meiosOntem à noite foram atribuídos os Prémios Meios & Publicidade Criatividade em Autopromoção e Inovação. As rádios Renascença, RFM e MEGA HITS, do Grupo Renascença Multimédia, conquistaram oito galardões.

Na categoria rádio, a RFM ganhou o prémio Bronze para melhor Spot Institucional, com o Lançamento da Webrádio On The Rock.

Só Que Não ao Vivo no Auditório da MEGA HITS, com Luís Franco Bastos, ganhou Bronze para Ação Especial.

Em Digital/Redes Sociais, a campanha É Música para os teus ouvidos (2 versões), da RFM, conquistou o prémio Bronze. A Prata foi para a Invasão da redação da Renascença,  um direto e simultâneo Renascença e SIC.

Os melhores Spot TV de estações de rádio foram para É Música para os teus ouvidos (2 versões), da RFM, que levou o Bronze, e Liberte os seus Ouvidos, da Renascença, que conquistou a Prata.

Na área da Responsabilidade Social a RFM foi premiada com a ação Natal a Meias com a Calzedónia, a favor da Comunidade Vida e Paz.

Por fim, na categoria Inovação – Brand Content/Content Marketing, a RFM levou o prémio Prata pela Intervenção equipa Força Especial SWAT no Estúdio da RFM.

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Jornalista da Renascença distinguida pela Assembleia da República por reportagem sobre o Autismo

É uma menção honrosa da Assembleia da República atribuída à Jornalista da Renascença Liliana Carona pela realização de uma reportagem sobre o autismo.

“Autismo. A música ajuda-os a sair da concha” é o nome da reportagem premiada e foi emitida a 19 de abril de 2017.

os_bueanimados_grupo_musical_de_jovens_autistas7819d483_base

Nela fala-se do projeto Buéanimados, uma iniciativa da Associação Portuguesa para as Perturbações do desenvolvimento e Autismo (APPDA), associação criada em Viseu pela mão de uma mãe que quis dar resposta a uma lacuna existente no apoio a crianças e adultos autistas.

Neste projeto musical na cidade de Viseu participam 20 jovens adultos com autismo que encontram na música uma importante plataforma de desenvolvimento cognitivo e sensorial.

A menção honrosa foi atribuída no âmbito do Projeto Dignitas, da Associação portuguesa de Deficientes. Um prémio que tem como objetivo distinguir os melhores trabalhos publicados ou difundidos nos órgãos de comunicação social portugueses, subordinados ao tema da deficiência e que promova, a dignidade das pessoas com deficiência, os seus direitos humanos e inclusão social.

A reportagem da Jornalista da Renascença Liliana Carona pode ser ouvida aqui.

Mais informações em www.rr.sapo.pt

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Renascença e RFM são marcas Escolha do Consumidor e vencem Prémio Cinco Estrelas

 

imagem premios escolha consumidor e cinco estrelasO ano 2018 começa com excelentes notícias para as rádios do Grupo Renascença Multimédia: Renascença e RFM vencem respetivamente, nas suas categorias, Informação e Entretenimento, os Prémios: Escolha do Consumidor e Cinco Estrelas.

Depois dos excelentes resultados alcançados na última vaga do estudo Bareme Rádio da Markest (dez 2017), que avalia as audiências de Rádio em Portugal, no qual a RFM conquistou novamente a liderança geral e a Renascença manteve a liderança no seu formato, os portugueses distinguem as duas rádios em 2018.

Mais de 330.000 consumidores atribuíram à Renascença e à RFM o mais elevado grau de satisfação, respetivamente, nos segmentos Informação e Entretenimento. Na 6ª edição dos Prémios Escolha do Consumidor, promovidos pela Consumer Choice – Centro de Avaliação da Satisfação do Consumidor foram avaliaram 866 marcas no total, divididas por 138 categorias.

Os portugueses atribuíram também o Prémio Cinco Estrelas à Renascença, na categoria de “Rádio de Informação” e à RFM na “Rádio de Entretenimento”. Na 4ª Edição foram avaliados 516 candidatos, organizados em 162 categorias de consumo. De todos os candidatos apenas os considerados muito bons receberam prémio: 98 marcas comerciais, 11 orgãos de comunicação social e 16 figuras públicas de diferentes áreas. No final, as duas rádios ficaram à frente das demais concorrentes: a RFM com uma classificação de 8,86 e a Renascença de 8,64 (numa escala de 1 a 10).

Para Pedro Leal, Diretor Geral de Produção da Renascença “Dado o prestigio dos prémios em causa é com enorme satisfação que recebemos estas duas distinções que distinguem o trabalho diário realizado, um trabalho sempre centrado na audiência que pretendemos alcançar.”  

Para António Mendes, Diretor de Programação da RFM, “estas distinções traduzem o foco e o empenho da RFM nos seus ouvintes e nos seus interesses, é isso que nos move. Obrigada a todos”. 

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , ,

Jornalistas da Renascença premiados – Aura Miguel, Joana Bougard e André Rodrigues

redacao1Aura Miguel e Joana Bougard, jornalistas da Renascença, venceram o Prémio Centenário das Aparições, com a reportagem “Fátima na Bielorrússia – uma chama que a URSS não apagou”

O prémio é atribuído pelo Santuário de Fátima e também distinguiu a peça televisiva “Maria, de Fátima”, da jornalista Berta Freitas, da RTP.

A decisão do júri, presidido pelo reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, teve em conta a “qualidade de ambas as reportagens, quer na forma quer na narrativa”.

Estavam inscritos 25 trabalhos, incluindo quatro reportagens de jornalistas estrangeiros, três brasileiros e um italiano. As temáticas propostas variavam entre a história do santuário e a experiência da peregrinação, a mensagem mariana e a espiritualidade, o património de Fátima e as suas repercussões sociais.

O jornalista André Rodrigues, autor da reportagem “Vidas de dor, corpos que não desistem” venceu a 6.ª edição do Prémio Anual de Jornalismo, promovido pela Associação Portuguesa para o Estudo da Dor e pela Fundação Grünenthal.

O júri, constituído Goulart Machado e Carlos Lobato, da Casa da Imprensa, Beatriz Craveiro Lopes, da Fundação Grünenthal, Teresa Fontinhas e Figueiredo Lima da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, teve em conta critérios como a criatividade, investigação, relevância e qualidade das peças jornalísticas.

O trabalho “Vidas de Dor, corpos que não desistem” aborda a dor crónica que atinge pelo menos um em cada três portugueses.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , ,
%d bloggers like this: