Tag Archives: José Luís Ramos Pinheiro

Grupo Renascença Multimedia na vanguarda da Transformação Digital

Imagem

Projeto de transformação digital automóvel “Smart Interiors” é desenvolvido pelo Consórcio DTx – Laboratório Colaborativo em Transformação Digital

Decorreu esta semana, no auditório do Grupo Renascença Multimédia, a apresentação oficial do projeto de transformação digital automóvel “Smart Interiors” com o objetivo de desenhar soluções inovadoras para o futuro da mobilidade.

O projeto será desenvolvido no âmbito do Consórcio DTx – Laboratório Colaborativo em Transformação Digital, do qual fazem parte várias empresas ligadas, de alguma maneira, à indústria automóvel, nomeadamente: Bosch Car Multimédia Portugal, Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA), Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), TMG Group (Têxteis para Interiores Automóveis), Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP), Universidade Católica e Universidade do Minho.

O Grupo Renascença Multimedia integra o grupo de trabalho “Smart Interiors” numa perspetiva de aliar inovação e produção de conteúdos multimédia a novas formas de consumo. Alinhado com a estratégia digital que tem vindo seguir, o grupo de rádios procura antecipar o impacto do futuro da mobilidade e da tecnologia multimédia à disposição dos passageiros, nas indústrias da comunicação, nomeadamente da Informação e do Entretenimento.

Na apresentação do projeto estiveram presentes António Cunha, Presidente do Co-Lab em Transformação Digital, DTx, José Mota da Bosch, José Silva, do CEiiA, Fernando Ilharco, da Universidade Católica, Júlio Viana da Universidade do Minho, João Gaspar do INL, Gonçalo Silveira, da TMG Automotive e José Luis Ramos Pinheiro, Administrador do Grupo Renascença Multimedia.

 

O debate que se seguiu foi dominado pela temática do automóvel do futuro. O habitáculo será uma autêntica sala de estar, para a qual o limite é a imaginação. Esta foi uma das várias ideias abordadas. Júlio Viana, professor do Departamento de Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho, falou de uma viagem de regresso a casa em que os ocupantes do veículo estão a “apanhar sol”, “relaxados”, em “ambiente tropical”.

Diogo Aguiam, do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), imagina sensores instalados no veículo que podem medir tudo e mais alguma coisa, até se termos febre, por exemplo. E Gonçalo Silveira, da TMG Automotive, falou de estofos mais confortáveis e em que as nódoas são absorvidas automaticamente.

 “Não vamos fazer um carro inteiro”, frisou António Cunha, presidente do DTx. A ideia é desenvolver “componentes tecnológicos” que se possam consumar em “protótipos de modelos”, para depois serem integrados na indústria automóvel.

O primeiro projeto será de um assento, “possivelmente giratório”, com uma plataforma ou consola onde há vários conteúdos, que podem ser apresentados num ecrã ou projetados. Para além disso, o próprio banco terá um “ambiente audio localizado”: terminará assim para sempre a luta pelo controlo do autorrádio, um objeto “em vias de extinção”, admitiu José Mota, da Bosch Car Multimedia.

“Isto pode estar no mercado daqui a três anos, perfeitamente. Faltam 10 ou 15 anos para termos carros totalmente autónomos, antes continuarão a existir carros com volante, em que é possível conduzir. Porém, poderá perfeitamente desligar o controlo da viatura e virar-se para a família”, explicou António Cunha.

Outra das questões abordadas foi a ideia de redesenhar o interior do carro do futuro como um “espaço adaptativo”, que pode ser de lazer, trabalho ou partilha com a família, está interligada com um futuro em que se prevê que o automóvel não seja um bem, mas um serviço – entraremos no primeiro carro disponível da marca que subscrevermos para fazer a nossa viagem, e não no nosso veículo. Isto coloca até problemas de higienização.

“Teremos que ter em conta que, em princípio, as pessoas vão estar mais tempo dentro de um carro e que cada carro estará ocupado mais tempo. Como o tornar mais confortável? As questões dos estofos deixarão de ser apenas estéticas”, notou Gonçalo Silveira, da TMG Automotive, uma fabricante portuguesa de interiores para automóveis.

O Grupo Renascença surge naturalmente neste grupo de empresas, nomeadamente na área dos conteúdos, informativos ou de entretenimento, segmentados para diferentes tipos de consumidores, tendo em conta também os seus desejos, atitudes e preferências. Para além de conteúdos dirigidos a vários segmentos, tem o know how de excelência no trabalho do som e da voz, que é um fator “decisivo”. “Dos meios tradicionais somos o que mais facilmente se adapta aos novos tempos e tira deles partido”, sublinhou José Luís Ramos Pinheiro, do Grupo Renascença Multimédia, referindo-se também à experiência já adquirida no segmento do vídeo, ao longo dos últimos anos. Os conteúdos poderão ser produzidos de novas formas, permitindo uma maior personalização: por exemplo, um passageiro poderá selecionar não só as notícias que quer ouvir, mas também se elas lhe são “dadas pela pessoa A, B ou C”. José Luís Ramos Pinheiro, prevê que o carro se pode transformar num novo espaço de consumo, já que todos terão as mãos livres e tempo para fazer escolhas.

 

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Grupo Renascença Multimédia projeta novo estúdio digital da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica

catolica

O novo Estúdio de Rádio da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa foi hoje inaugurado. A cerimónia contou com a presença da Direção da Faculdade de Ciências Humanas, da Reitoria da Universidade Católica e da Administração Grupo Renascença Multimédia.

O novo estúdio foi projetado pelo Grupo Renascença Multimédia, em regime de cofinanciamento com a UCP.

O novo estúdio (RadioLab) está equipado com a mais recente tecnologia, o que permite melhorar e acompanhar a atual digitalização de conteúdos e a forma como essa transferência tem alterado as formas de consumo de rádio. Os alunos passam a ter à sua disposição instrumentos que lhes permitem utilizar as novas potencialidades do meio rádio e desenvolver competências nas áreas de produção de conteúdos áudio, tanto no domínio da informação, como na animação de programas.

O Grupo Renascença Multimédia aposta mais uma vez na inovação e na formação de novos profissionais de Rádio. Para José Luís Ramos Pinheiro, Administrador do Grupo, “esta é mais uma etapa da formação de sucesso que o Grupo Renascença Multimédia tem desenvolvido há mais de vinte anos com a Universidade Católica, assegurando a lecionação das disciplinas de rádio, pelas quais já passaram milhares de profissionais, agora colocados nos mais diversos meios de comunicação e em diferentes organizações”.

Para o Professor Nelson Ribeiro, Diretor da Faculdade de Ciências Humanas, “o novo estúdio vai permitir-nos expandir a oferta de aulas realizadas em estúdio e aumentar o número de horas de emissão da estação de rádio da faculdade. É um passo importante numa área na qual a Faculdade de Ciências Humanas tem uma vasta tradição já que, ao longo dos anos, formámos largas dezenas de profissionais que hoje trabalham nas principais estações de rádio portuguesas.”

Com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nelson Pimenta assume Direção Digital do Grupo Renascença Multimédia

Nelson Pimenta.jpg

Com o objetivo de aprofundar o processo acelerado de Transformação Digital iniciado em 2017, o Grupo Renascença Multimédia escolheu Nelson Pimenta para dirigir a nova área digital, agora criada.

Transversal a todo o Grupo, esta nova área representa uma aposta no Digital enquanto driver de mudança e crescimento, implicando capacitação de pessoas e adoção de novos processos, ajustados às novas exigências da cultura digital.

Sempre focado nos fãs e ouvintes dos diferentes segmentos etários, sociais e comportamentais que com ele interagem, o Grupo Renascença Multimédia pretende inovar na experiência de utilização de conteúdos digitais de excelência.

Nelson Pimenta, até agora CEO da Seegno (uma aceleradora tecnológica de startups internacionais, onde irá manter o cargo de Senior Advisor), tem uma sólida carreira ligado ao Marketing Digital, à Tecnologia e à Inovação, tendo estado 15 anos ligado à Ogilvy onde desempenhou funções de Digital Marketing Strategist e Head of Social Media para as marcas do Grupo até 2015.

Ao assumir a Direção Digital do Grupo Renascença Multimédia, afirma: “Estou muito entusiasmado por poder fazer parte de um projeto tão ambicioso ligado ao digital. Se aliarmos a minha paixão pelo meio rádio, àquilo que representa na nossa vida todos os dias, bem como o potencial de crescimento do meio rádio no universo digital, e ainda a preferência dos portugueses pelas marcas e produtos do grupo, rapidamente a tentação se transforma numa proposta irrecusável.”

Para José Luís Ramos Pinheiro, administrador do Grupo com a área Digital, “a contratação de Nelson Pimenta e a criação desta nova unidade são duas decisões com o mesmo objetivo: desenhar uma oferta inovadora e diferenciadora, acrescentando novas competências que vão dar outro impulso à diversificação do Grupo Renascença Multimédia no ecossistema digital”.

Com as etiquetas , , , , , , ,

Renascença, RFM e Mega Hits novamente rádios oficiais do Rock in Rio Lisboa

logo rcom

O Rock in Rio chega a Lisboa em 2016, mais uma vez, pelas mãos da Renascença, RFM e Mega Hits e as novas datas acabam de ser anunciadas: 20, 21, 26, 27 e 28 de Maio de 2016 são as datas divulgadas, esta manhã, em direto do Rock in Rio Brasil, pela repórter Joana Cruz.

As Rádios do grupo renascença comunicação multimédia estão ao lado do maior evento de música e entretenimento do mundo desde a sua primeira edição em Lisboa, há 11 anos, com mais de 700 horas feitas em direto e ao vivo a partir do Parque da Bela Vista.

É mais uma vez ao Parque da Bela Vista que regressa a 7ª edição do Rock in Rio Lisboa, onde a organização promete muitas surpresas para celebrar com o público português os 30 anos de história do Rock in Rio.

Este fim de semana na edição brasileira do festival, Roberta Medina, Vice Presidente Executiva do Rock in Rio, disse que “2015 é um ano particularmente especial para o Rock in Rio: é o ano em comemoramos os 30 anos de história e também o ano de estreia do festival nos Estados Unidos. Em setembro regressámos à cidade que nos viu nascer e continuámos a celebrar estas três décadas de vida com uma edição muito especial, que ficou marcada pelo regresso de alguns artistas que atuaram no primeiro Rock in Rio, em 1985. Agora, chegou a altura de celebrar junto com o público português e estamos, já, a preparar uma edição recheada de grandes momentos e muitas surpresas”.

José Luís Ramos Pinheiro, Administrador do grupo renascença comunicação multimédia afirma que “ as nossas rádios são cada vez mais, cada qual a seu modo, protagonistas dos grandes momentos. Acompanhamos os grandes acontecimentos, no país ou no mundo, como nenhum outro grupo de rádio em Portugal. E o Rock in Rio Lisboa 2016 vai ser um desses grandes acontecimentos que chegará aos portugueses pelas nossas rádios – com som, imagem e muita animação”.

 A Renascença, RFM e Mega Hits, para além das habituais emissões ao vivo, irão também preparar muitas surpresas em mais esta edição do maior evento de música e entretenimento do mundo.

Com as etiquetas , , , , , , ,
%d bloggers like this: